domingo, 24 de julho de 2016

Dobro de Delírio da Esquina

Por PAULO MONTEIRO | paulomonteiro1991@gmail.com

Deitado em fios de ilusões
espalhando rastros químicos de palavras
que fazem o dia enegrecer.
Preparo ataques terroristas
com sentenças bombas nucleares
que penetram seu tímpano.
Narizes sangram na noite
enquanto eu caminho...
entre frases atômicas.
Os tambores em minha mente nunca cessam.
Os filmes dos meus olhos nunca acabam.
Meus pés não descansam.
Minha boca ainda tem tempo de amaldiçoar

até minha quarta geração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário